Data: 24 a 27 de Abril, das 10h às 19h / 28 de Abril, das 09h às 17h | Localização: K 015

A ATIVA (Automação Interativa) é o desenvolvimento de um aplicativo para a programação e controle de uma bancada eletropneumática que poderá ser utilizado por pessoas sem grandes conhecimentos de programação de CLP. Este projeto está em desenvolvimento por um grupo de alunos e teve sua primeira fase apresentada no Projeto Incubadora Tecnológica (InTEC) da FAAP  em 2017. Na primeira fase, foi desenvolvido o programa de computador para a programação de um CLP que controla uma bancada eletropneumática. Atualmente, está em desenvolvimento um aplicativo para o controle e programação da bancada. Na FEIMEC, será exposta a bancada eletropneumática com a demonstração da utilização do programa.

SAMPE® – Society for the Advancement of Material and Process Engineering (Sociedade para o Progresso da Engenharia de Materiais e Processos) é uma sociedade global de profissionais do ramo de engenharia de materiais que fornece informações sobre novos materiais e tecnologias de processamento através de conferências, exposições, fóruns técnicos, publicações ou livros. Sendo a única sociedade técnica que abrange todos os campos de atuação em materiais e processos, a SAMPE fornece um fórum único e valioso para cientistas, engenheiros e acadêmicos.

Lançado no Brasil em 2014, o Desafio Acadêmico em Composites SAMPE Brasil tem o objetivo de fornecer uma oportunidade para os alunos aprenderem e expandirem suas habilidades para projeto e fabricação de componentes em materiais compósitos. Neste desafio, os alunos devem projetar e fabricar uma estrutura (viga/ponte) de material compósito (fibra de carbono + resina, fibra de vidro + resina), obedecendo regras e especificações preestabelecidas. Estas vigas devem suportar uma carga de 4 toneladas e ser a mais leve possível. O projeto é avaliado por uma banca formada por profissionais respeitados na Indústria de Compósitos.

Os alunos da Engenharia de Materiais da FEI são incentivados a formarem equipes e participarem do Desafio. A FEI já participou das quatro edições nacionais e foi três vezes vencedora (2014, 2016 e 2017).

Seguem as dimensões e pesos dos dois carros:
- Fórmula Combustão: 182kg; Fórmula Elétrico: 230kg
- O projeto Dimensões: 3,50m de comprimento por 2,50 de largura (em ambos os carros).

FORMULA SAE BRASIL é um desafio voltado para estudantes de engenharia que tem como objetivo difundir o intercâmbio de técnicas e conhecimentos de diferentes áreas da engenharia, através do desenvolvimento de projeto de um carro do tipo fórmula, desde a sua concepção, projeto detalhado, construção e testes. Essa competição existe há anos nos Estados Unidos e chegou ao Brasil em 2004, onde a FEI esteve presente em todas as edições da competição. Atualmente a equipe Formula FEI conta com cerca de 25 estudantes, do ciclo básico, de pós-graduação e de mestrado, que projetam, desenvolvem, simulam produzem e testam componentes para os dois carros que representam o Centro Universitário FEI na competição, o Fórmula FEI Elétrico e o Fórmula FEI Combustão.

Os visitantes terão a oportunidade de conhecer o protótipo Fórmula SAE Elétrico, que além de ser totalmente projetado e fabricado pelos alunos da FEI, empregando soluções criativas e inovadoras em seu projeto, será possível ter contato com as mesmas tecnologias encontradas nos carros de competição da Fórmula E e em alguns dos melhores veículos elétricos disponíveis no mercado automotivo.

O ITA traz para a FEIMEC 2018 o Fraunhofer Project Center em Manufatura Avançada ([email protected]). Uma iniciativa conjunta entre o Instituto Tecnologico de Aeronáutica (ITA) e o Fraunhofer Institute for Production Systems and Design Technology (IPK), localizado em Berlim, Alemanha.

Tendo como objetivo a prospecção e implementação conjunta de pesquisas industriais,desenvolvimento e inovação (PD&I). O [email protected] oferece ao mercado a combinação das competências presentes nessas duas instituições. Atuando em todo ciclo de vida do produto, seu portfólio de projetos engloba as áreas de Gestão coorporativa e Gestão da Qualidade, Manufatura Digital, Sistemas de Produção e Tecnologias de Automação.

O ITA desafiará os participantes da FEIMEC 2018 a resolver um problema de lógica. Todos que conseguirem cumprir o desafio serão premiados com um treinamento técnico/prático sobre técnicas de processos não convencionais de fabricação, nas dependências do ITA. Após o treinamento será disponibilizado um certificado de conclusão.

Cluster - Padrões de Comunicação para Manufatura Inteligente

Cluster de Manufatura Avançada irá proporcionar aos visitantes uma demonstração dos padrões de manufatura avançada, desde como utilizá-los até quais benefícios trazem para as companhias de todos os tamanhos.

Com o tema “Padrões de comunicação para manufatura inteligente” e em parceria com a AMT - American Manufacture Technology e Beckhoff, o Instituto Mauá de Tecnologia irá demonstrar como uma empresa consegue visualizar e quantificar a produção de seu negócio de forma remota. Para isso, a instituição irá demonstrar o que são os padrões de comunicação utilizados pelos equipamentos nas fábricas, como utilizá-los e quais benefícios trazem para as companhias de todos os tamanhos.

A UFSC traz para a FEIMEC o Departamento de Engenharia e Mecânica, que apresentará durante todos os dias os laboratórios abaixo.

Laboratório de Mecânica de Precisão (LMP)
Responsável: Prof. Milton Pereira

Criado em 1990 e desde então atua no desenvolvimento de pesquisas tecnológicas aplicadas na área de usinagem com ferramentas de geometria definida e não-definida, englobando os fundamentos dos processos de usinagem e desenvolvimentos em modelagem e simulação destes processos, bem como na a busca pela fabricação de precisão e ultraprecisão, dando ênfase aos processos de torneamento, furação, alargamento, fresamento, retificação, lapidação, brunimento e polimento. Entre os processos não-convencionais destacam-se a remoção por descargas elétricas, a furação por escoamento e rosqueamento por conformação e, mais recentemente, aplicações com laser de elevada potência. Também são desenvolvidas pesquisas na área de projeto e construção de máquinas-ferramentas de precisão e ultraprecisão convencionais e CNC. Com foco na excelência e formação dos acadêmicos, o LMP tem intensificado o desenvolvimento de tecnologias de processamento de materiais por laser, com destaque nos processos de soldagem autógena e híbrida, o revestimento (cladding), bem como o tratamento térmico de processos aditivos em 2D e 3D. Através de convênios e trabalhos cooperativos, formou-se um estreito laço entre o LMP e diversas empresasnacionais e multinacionais. A colaboração com renomadas universidades e centros de pesquisa da Alemanha e Suíça tem permitido um intenso intercâmbio acadêmico e desenvolvimento de projetos colaborativos. 

Laboratório de Soldagem (LABSOLDA)
Responsável: Prof. Régis Henrique Gonçalves e Silva

Contando com uma equipe altamente interdisciplinar de aproximadamente 45 pessoas, o Instituto de Soldagem e Mecatrônica – LABSOLDA figura como um dos mais proeminentes entre seus pares sul-americanos. Pessoas de variadas áreas de conhecimento, como processos de soldagem, ciência dos materiais, eletroeletrônica, projeto mecânico, mecatrônica e TIC, aplicando uma infraestrutura de P&D comparável à de instituições de referência mundial viabilizam uma produção científico-acadêmica e tecnológica de nível internacional. As principais linhas de P&D e Inovação são Processos de Soldagem a Arco, Fontes de Energia, Automação e Dispositivos Especiais, com presença nos setores de Geração de Energia, Petróleo e Gás, Agrícola, Aeroespacial, Naval e de Bens de Consumo. Com o objetivo de formar engenheiros de elevada qualificação e gerar inovações tecnológicas, o LABSOLDA adotou uma abordagem não ortodoxa no ambiente acadêmico brasileiro, configurada pelo desenvolvimento de equipamentos e instrumentação próprios. A arquitetura aberta permite alta flexibilidade, em relação a equipamentos comerciais. Essa estratégia tem assegurado ao LABSOLDA vários prêmios tecnológicos. Destacam-se, como parceiros da academia e da indústria, a RWTH, UFU, Universidad Antofagasta, PETROBRAS, TRACTEBEL e EMBRACO. Como principais financiadores públicos do LABSOLDA, figuram o CNPQ, ANP, CAPES e FINEP.

Laboratório de Sistemas Hidráulicos e Pneumáticos (LASHIP)
Responsável: Prof. Victor Juliano de Negri

O LASHIP – Laboratório de Sistemas Hidráulicos e Pneumáticos – é uma unidade do Departamento de Engenharia Mecânica da UFSC e possui uma estrutura centrada no atendimento das atividades de ensino, pesquisa e extensão universitária. Os membros do LASHIP atuam desde 1977 no ensino de graduação e desde 1984 no de pós-graduação e na pesquisa em componentes e sistemas hidráulicos e pneumáticos, envolvendo investimentos provenientes de projetos com agências de fomento e parcerias com empresas nacionais.

Pela sua atuação, ao longo dos anos, é reconhecido internacionalmente como referência em hidráulica e pneumática na América Latina. Suas atividades são fundamentadas em estudos teóricos e experimentais e dividem-se em três áreas: (1) Análise e Projeto de Componentes e Sistemas Hidráulicos e Pneumáticos; (2) Métodos para Desenvolvimento de Sistemas Mecatrônicos com Hidráulica e Pneumática e (3) Sistemas Computacionais para Suporte ao Projeto de Componentes e Sistemas Hidráulicos e Pneumáticos.

O estreito relacionamento com indústrias do setor e com a ABIMAQ-CSHPA  possibilita ao LASHIP a identificação das necessidades da indústria e, assim, formar engenheiros, mestres e doutores realmente diferenciados. Há também constante atenção em identificar e pesquisar temas mundialmente relevantes e, para isto, alunos e professores participam sistematicamente das principais conferências internacionais em hidráulica e pneumática.

 

Laboratório de Robótica Professor Raul Guether (LRRG)
Responsável: Prof. Henrique Simas

O Laboratório de Robótica Professor Raul Guether (LRRG) integra atividades de pesquisadores dos Departamentos de Engenharia Mecânica (EMC) e de Automação e Sistemas (DAS) e do Centro de Engenharias da Mobilidade (CEM) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). O grupo de pesquisa é multidisciplinar, integrando pesquisadores das engenharias mecânica e automação e das áreas da informática, matemática e física, contando com uma equipe formada por 6 professores doutores, 13 doutorandos, 15 mestrandos e 12 alunos de iniciação científica com bolsa PIBIC ou voluntários.




O Projeto Jupiter é uma equipe de Foguetemodelismo da POLI formado por membros de diversos cursos da USP unidos por uma paixão: foguetes.

Visando ao desenvolvimento profissionaldos integrantes e do setor aeroespacial brasileiro, projetamos foguetes de 3mde altura com a missão de atingir 3.000m de altitude em competições pelo mundo.

Com a expansão do Projeto, a equipe busca apoio, mantendo-se por meio de patrocínios e colaborações advindas da USP, de empresas e institutos militares.